Jornal da FeUMP – Outubro 2013

Jornal da FeUMP - Outubro 2013

Anúncios

Orai sem cessar.

1Ts 5:17

   Caro leitor, a vida do Apóstolo Paulo em todo seu ministério, sempre foi regada por muita oração. Ele sabia da importância dela e não é a toa que ele escreve estas três palavrinhas, sendo que a primeira é uma palavra de ordem: Orai. Podemos entender a oração como a respiração do nosso espírito, assim como o nosso corpo físico respira por meio dos pulmões em “todo” momento, nosso espírito também precisa respirar em “todo” momento, mas o ar neste caso tem outro nome: oração. O que aconteceria, por exemplo, se você parasse de respirar? Claro que morreria. Pois é, o nosso espírito sem constante oração vai perdendo a cor, vais se esfriando, vai morrendo.

   Quantas vezes você ora por dia? Na ora do almoço? (Senhor Jesus obrigado pela comida, amém.). Na hora de dormir? (Senhor Jesus…. e acorda no outro dia.).

   Pare! Não é este tipo de oração que Deus espera de você, Ele não quer algo automático, orar por orar. Em primeiro lugar, é necessário crer que Deus está presente enquanto você ora, é necessário ter fé que ele é poderoso para suprir suas necessidades. Mas além de crer que Deus está presente, Ele quer que você se derrame na sua presença. Conte a ele os seus anseios, os seus desejos, as suas dificuldades. Ainda que Ele saiba (e Ele sabe tudo), Ele quer ouvir da sua boca o que você sente. Nós precisamos ter um relacionamento cada vez maior com Deus, buscar intimidade com o Senhor e a oração é o maior passo para que isso aconteça.

   ORE, ORE e ORE.

   Está tudo bem? Ore.

   Está tudo péssimo? Ore.

   Não tem vontade de orar? Ore. Peça a Deus vontade de orar.

   Viva uma verdadeira vida de oração e você verá o quão fortalecido ficará o seu espírito.

   Louvado seja o Senhor e que sua graça esteja com você. Amém.

A culpa é do tempo!

Em uma cidade como São Paulo, as coisas são sempre muito agitadas. Vivemos em meio às correrias da vida e geralmente acordamos cedo e dormimos tarde. Para aqueles que se locomovem com veículos próprios enfrentam o trânsito. Para os que utilizam transporte público, além do trânsito ainda sofrem com a superlotação e outras preocupações. As pessoas trabalham demais e há as que também estudam.

Com uma vida assim, vivemos reclamando que nos falta tempo para realizar outras tarefas. Alguns até blasfemam ao dizer ou pensar que isso é porque Deus os parou de abençoar. Talvez Deus realmente tenha parado de os abençoar, mas porque eles tenham parado de o buscar. Mas outra vez, a culpa disso é do tempo.

Eu entendo perfeitamente que o tempo das pessoas é muito curto. Entendo que vivemos vidas agitadas. Que todo dia é uma nova correria. Eu só não consigo entender como ainda assim cresce a audiência dos programas de TV e das novelas? Como em meio a tanta correria as pessoas ainda consiguam “facebookar”? Como as pessoas que reclamam do tempo limitado encontram tempo para ir se divertir e não conseguem achar 1 minuto sequer para agradecer a Deus ao menos pela vida?

Agora o nome disso deixa de ser “falta de tempo” e passa a ser “prioridade”. Na pirâmide das prioridades Deus sempre fica em último lugar. É como se Deus não tivesse nada a ver com absolutamente nada, quando ele é quem rege absolutamente tudo. As pessoas são capazes de driblar o sono para não perder os capítulos da sua novela ou do seu programa predileto, mas não lembram de orar nem durante a propaganda. Não podem deixar de ver as atualizações do Facebook, mas a “atualização” espiritual fica sempre pra depois. 

Então você ainda reclama que Deus muitas vezes fica em silêncio, não te responde, não te abençoa? Ou será você quem está em silêncio, quem não clama, quem não o busca? Talvez seja a hora de rever as prioridades na sua agenda.

Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. (MT 6:33)

 

Lucas Ariel
Secretaria de Espiritualidade

E os jogos se aproximam…

A necessidade do esporte para o ser humano é evidente. Não podemos descartar a sua importância tanto para um bem estar físico como também mental. Devemos apenas analisar os tipos de esporte. Existem esportes de caráter bruto e perigoso. Segundo R. N. Champlin: existe algo de muito estranho no prazer daqueles que gostam de ver dois homens fortes infligindo danos físicos um sobre o outro.

Estamos nos aproximando dos Jogos FeUMP 2013, no calor da emoção podemos por vezes perder as estribeiras, insultar nosso irmão e nos ferir não só fisicamente, mas também emocionalmente e espiritualmente. Certa vez ouvi: uma faca ou uma tesoura, por exemplo, podem arrancar um dedo, furar  uma perna, mas as palavras tem o poder de rasgar a alma! Portanto tomemos cuidado primeiramente com o que proferimos ao nosso irmão!

  •  É importantíssimo que tenhamos na prática do esporte domínio próprio e disciplina.

Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível” (1Co 9:25)

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.” (Gl 5:22-23).

  • Devemos exercitar o auto domínio e nos disciplinarmos desde já, pois no esporte existem regras e nós devemos seguir as normas.

“Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas.” (2Tm 2:5)

 

  • Outro aspecto que devemos considerar, é que a prática do esporte deve estar provida de liberdade, ou seja, nem o praticante, nem o espectador, podem ser escravizados pelo esporte. Assim como quaisquer outros aspectos de nossas vidas, não podem nos escravizar a ponto de tirar a nossa atenção das outras coisas, principalmente das espirituais.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” (1Co 6:12)

 

  • Enfim, fomos resgatados para fazer a diferença. Em um mundo com tanta violência, devemos nos mostrar pacíficos, devemos ser exemplo. Também não podemos nos esquecer que o nosso propósito e fim é glorificar a Deus e nos alegrar nele para sempre. Portanto, até mesmo ao praticar esportes, precisamos glorificar a Deus.

“Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1 Co 6:20 e 1 Co 10:31)

 

Que Deus muito te abençoe.

Lucas Ariel
Secretaria de Espiritualidade

Ignorância, dúvida e desobediência

Ao passo em que nosso conhecimento de Deus evolui, podemos nos encontrar em 3 estágios de relacionamento com sua verdade. Estes estágios têm a ver com o quanto procuramos conhecer a Deus e como agimos quando obtemos esse conhecimento. Ainda, estes estágios revelam nossa intimidade com a Teologia, ou seja, com o próprio conhecimento do Deus Pai. O que define nossa vida de santidade é a medida da aplicação do nosso conhecimento teológico em nossas vidas, e nesse sentido, é útil que analisemos estes 3 estágios e ajamos da melhor maneira em cada um deles.

Primeiro estágio: Ignorância

O primeiro estágio é aquele em que não temos conhecimento das verdades divinas. Não é necessariamente um estágio inicial, já que pode se extender ao longo da caminhada cristã se não nos dedicarmos ao estudo da Palavra.

Paulo diz aos Romanos em Romanos 1:17:

“Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: “O justo viverá pela fé”.”

O conhecimento da Palavra de Deus deve gerar um resultado imediato: que vivamos de acordo com esse conhecimento. Não nos enganemos: nós precisamos conhecer o que a Bíblia tem a nos dizer sobre até o mais irrisório de nossos atos, que dirá sobre aqueles mais relevantes, que revelam como está nosso relacionamento com Deus!

Nós precisamos avidamente tomar conhecimento das verdades do evangelho. Conhecê-las deve gerar em nós uma modificação imensa pois, à partir deste conhecimento, devemos pautar todas as nossas ações, seja à partir de ordens diretas ou ainda de exemplos de outros santos, que demonstram o grande poder de transformação do conhecimento de Deus.

Segundo estágio: Dúvida

A dúvida é bem diferente da ignorância. A dúvida supõe um conhecimento da verdade. Este conhecimento, porém, não se mostra suficiente para o convencimento contrário a uma crença já estabelecida, e nasce, assim, um questionamento da própria verdade divina.

Entretanto, a dúvida é uma companheira frequente de nós, cristãos. Isso porque, se realmente temos procurado conhecer a vontade de Deus, seremos confrontados em praticamente todos os desdobramentos que se dão em nossa vida: vivemos num mundo totalmente averso aos preceitos de Deus.

Paulo continua:

“Portanto, a ira de Deus é revelada do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça,
pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.
Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis;”
Romanos 1:18-20

A maneira como lidamos com a dúvida atestará se ela servirá para edificação ou para destruição: você procura saná-la ou convive com ela? Se há convivência com a dúvida, há necessariamente idolatria em sua vida. E uma idolatria de resultados graves. À partir do momento em que coloca-se uma suposta verdade individual acima da Verdade, comprova-se quem está no trono do seu conhecimento.

Terceiro estágio: Desobediência

Ignorância e dúvida podem ser pecados ou resultado de pecados, mas há algo que certamente se manifestará como pecado: a desobediência.

A desobediência acontece quando temos conhecimento de uma verdade divina e não a colocamos em dúvida, mas, mesmo assim, não a aplicamos em  nosso viver. Para isso, não há desculpa.

Todos nós lutamos contra a desobediência às verdades de Deus. Lutamos na semana que se passou e lutaremos na semana que se inicia. Por omissão ou comissão, quando não fazemos o que Deus institui em sua Palavra, pecamos.

“…porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram.”
Romanos 1:21

 O conhecimento de Deus deve gerar em nós ações que glorificam a Deus. Deve gerar gratidão pela própria revelação desse conhecimento. Caso contrário, tudo aquilo que pensamos se torna fútil e nossos coração se torna cada vez insensato.

Que Deus possa nos ajudar para que não continuemos ignorantes em nenhuma de suas  verdades, para que não habitemos na dúvida e para que possamos agir de acordo com as verdades que Ele revelou a nós. Glória somente a Ele!

André Alves
Secretaria de Espiritualidade

Baseado em http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/04/pregue-para-os-ignorantes-os-indecisos-e-os-pecadores-mark-dever/

Jogos FeUMP 2013

Pessoal, 
Em primeira mão…! rs!

O cartaz vencedor do concurso dos Jogos FeUMP 2013 foi: UMP Parque Esplanada!
Parabéns queridos!

Imagem

Com isso vocês acumularam 10 pontos para a premiação anual, mais um presente que daremos no dia do jogo para o criador do cartaz!
E agora, vamos aguardar o regulamento, que estará disponibilizado no dia 1º de Abril! =)
Confirmem presença no nosso evento aqui no face e formem seus times!!!!!! =)

Evento: http://www.facebook.com/events/167610083392045/?context=create